Verdadeiros valores

Ontem foi um dia específico. E eu uso esse adjetivo porque não quero usar palavras para classificar isso que estou vivendo agora. É um momento específico de libertação, de reciclagem, de escolha, de autoconsciência. Porque uma coisa é clara: você faz escolhas na sua vida. Umas você percebe que eram equivocadas. Outras, por outro lado, precisam ser constantemente ratificadas. Então, eis que estou aqui ratificando a minha escolha mais uma vez.
E que escolha é essa? A escolha do caminho da Luz. E o que seria esse caminho? É o caminho que a grande maioria classifica como a dos chatos da autoajuda. E as pessoas se esquecem que autoajuda é autoconsciência. E que ser autoconsciente não é  motivo de vergonha. Por que deveria?

Temos a grande ilusão de que viver na ilusão é uma forma de ser feliz. Pode até ser. Você pode fechar os olhos para si mesmo e pensar que não encarar certas coisas como elas são é um jeito de viver. Você pode até fazer isso... mas, vai por mim: um dia a conta chega. E quando ela chega, vai estar acrescida de juros e correção monetária. Isso será punição divina? Muito pelo contrário! Isso chama livre-arbítrio.

Mais interessante desse "momento específico" que estou vivendo é que duas pessoas distantes e presentes na minha vida postaram textos parecidos que me auxiliaram a clarear ainda mais a visão. Mesmo em situações e contextos diferentes, claramente me serviram para mostrar algo: o MEU caminho. E eu estava fugindo do MEU caminho. Fugindo talvez seja forte demais... digamos que eu tenha meio que perdido desse meu caminho. Pior, de propósito.

Então, para ratificar as mesmas escolhas, escolhemos a mesma escolha diversas vezes seguidas... sem parar. Sem se esquecer. Sem deixar de sentir a alegria. Sem deixar o ego falar mais alto, achando que porque você sabe o seu caminho, você é melhor do que alguém. Ninguém é melhor do que ninguém.

Ainda estou abrindo os meus olhos outra vez. Eles ficaram alguns meses enevoados... no meio de tanta confusão emocional. Me perdi de mim mesma, do meu contato com a minha alma. Vou superar a autopunição com o amor que me é devido. E sorrir. E seguir. E nunca desistir.

Assim, dedico este post de hoje a essas duas pessoas que de forma tão distintas, me trouxeram essa lembrança... com muito amor: IT (que escreveu algo mas que prefiro não compartilhar aqui...) e a queridona da Nandah Meyrelles -- obrigada às duas. De coração. Prometo multiplicar infinitamente os sentimentos recebidos por vocês...

Eu raio X

Tava demorando para voltar a falar da minha única e querida cantora mais favorita de todos os tempos: Isabella Taviani. Qual a graça, também, deste blogue existir se eu não falar dela??!
Ontem (26/01) rolou uma twitcam com a IT falando sobre o novo álbum "Eu raio X".  O álbum está na fase final de mixagem e ela aproveitou para compartilhar trechinhos de algumas coisas e, praticamente, apresentar a faixa título do álbum inteira para os fãs.

Eu, como fã que vocês já sabem que sou, estou ansiosa por este novo trabalho. Me lembro quando acompanhei a gestação do "Meu coração não quer viver batendo devagar". Agora, posso ter o privilégio de acompanhar outro nascimento. E digo: tenho muito orgulho da artista Isabella que gosta de se reinventar, não se acomoda no sucesso e na fórmula fácil de fazer canções de sucesso. Ela sabe que suas canções serão sempre sucesso!
Enfim, segue aqui a mais atual foto de divulgação do novo visual de IT e um link para a twitcam, para quem tiver curiosidade de ver o rebento quase nascendo. Cada vez mais só tenho motivos para admirar, louvar e divulgar seu trabalho. Ao finalzinho do vídeo, a cantora gentilmente me manda um beijo. Beijo para vc, IT! Sucesso, glórias e felicidade neste 2012 para você!
">

Olhos nos olhos

Culturalmente, somos nativos de um país em que conversar olhando nos olhos é sinônimo de sinceridade. Em outras, isso é visto como agressivo e mal-educado. Também, costumam dizer que os olhos são a janela da alma.

Ouvi gringos dizendo que brasileiros são muito intensos por gostarem de conversar olhando nos olhos. No Japão, onde morei por algum tempo, até se olha nos olhos, mas sempre um "meio olhar". E mulher sempre em nítida posição submissa em relação ao homem.


Também se ouve falar nesses cursos de RH sobre olhar nos olhos durante uma entrevista de emprego, na hora de um chefe conversar com seus subordinados e afins. Outro exemplo, um artista, quando está no palco, e olha para a sua plateia: você sabe que ele está olhando nos seus olhos.

Bom, isso tudo foi para dizer que tenho minhas sérias restrições quanto a conversar olhando alguém nos olhos. Explico. Eu acredito nesse negócio de olhos como janelas da alma e como portais para aquilo que a pessoa tem de bom e ruim dentro dela. Um simples olhar é capaz de demonstrar E de captar tudo isso.

Conheci várias pessoas com as quais simplesmente ERA IMPOSSÍVEL manter uma conversa olhando nos olhos. Vez ou outra, reencontro pessoas com esse perfil. Durante alguns longos meses da minha vida, fiquei sem olhar nos olhos de todas as pessoas com quem conversava. Motivos? Simplesmente porque eu não estava bem e porque não queria que ninguém adivinhasse o que se passava comigo porque, nessas horas, eu simplesmente não sei mentir.


Então, eis que reparo que voltei a gostar de olhar nos olhos das pessoas. Olhar ali... bem fundo. Como dizia uma grande amiga minha, eu sempre tive essa capacidade de "desnudar sem dizer nada, apenas olhando". Ela, que sempre se disse uma pessoa com "olhos de escudo" ficava constrangida com meu olhar... haha velhos tempos esses, ein? Se você, pessoa, estiver lendo este post agora, sabe que estou falando de você.

E, para finalizar, reitero: eu faço uma leitura gigantesca da pessoa apenas de olhar nos olhos dela. Infalível, sinto dizer. Raríssimas vezes, eu errei. Portanto... pergunta: você se arrisca me encarar? :)

ps: post despretensioso para este dia de frio e chuva, em pleno verão paulistano...

Do que é verdade...

Pessoas que só vivem para a caridade alheia me assustam. Não estou defendendo o egoísmo, eu simplesmente acredito no equilíbrio das ações.

Pessoas que falam e falam e agem tão pouco, ou quase nada. Quando agem, é para deixar a corda estourar no lado mais fraco. Bem, isso não é novidade,  mas é algo que ainda me assusta e me entristece. Coragem não é vociferar aos quatro ventos, mas é agir em silêncio, sem holofotes, sem reconhecimento, sem agradecimento público. Coragem é simplesmente ser.

Pessoas carismáticas me encantam em um nível inenarrável. Pessoas carismáticas e espontâneas então... espontaneidade e carisma são afrodisíaco raro. As pessoas gostam de caras pastéis, sentimentos pastéis, atitudes pastéis... tudo naquele mesmo tom semibege que não agride nem retrai, existe sem se destacar, passa despercebido até do próprio tom pastel em si. Observação: nada tenho contra tons pastéis, acho o azul bebê lindo. Mas confesso que sem o vermelho, o preto e o laranja a vida não teria graça.

O dia está bonito hoje. De um azul puro, pós-chuva, prenúncio de chuva mais tarde, brigadeiro cheio de nuvens salpicadas como torrões de açúcar caídos. Quero este mundo novo (mesmo com gosto de velho) que se reinventa. Esta é a vida. Esta é a verdade. Esta é a vontade. Este é o DESEJO.

A verdadeira habilidade de viver sem perder as esperanças, a crença, a singularidade, a honestidade, a inocência e a ingenuidade. Estou voltando a viver, simplesmente, outra vez.

Dos reflexos de um singelo sonho...

Os últimos dias trouxeram um sabor novo à minha vida. Reencontrei velhas amigas que não via algum tempo... me dispus ao novo, de forma nova, de coração aberto, sem muralhas, sem restrições. Claro -- mantendo sempre meu caráter e minha personalidade.

No domingo, sonhei com muitas pessoas do meu passado recente. E aquela enxurrada de perguntas... parecia tão inútil quanto tentar usar guarda-chuva nesses dias de temporais de verão em São Paulo. Então, decidi -- de novo e mais uma vez -- que era chegada a hora de dizer adeus a tudo que me faz mal. Algumas pessoas existem na sua vida apenas para lhe mostrar o caminho correto que você deve seguir. Sem elas, claro.

Encontrar com as amigas que encontrei me mostrou que no "mundo novo" ainda tem muita coisa velha que precisarei enfrentar. Os mesmos vícios, as mesmas manias... o mesmo ser humano distorcido de si mesmo que tenta desesperadamente se encontrar. E isso não me assustou. Ao contrário. Conhecer pessoas novas me parece ser tudo aquilo que preciso agora. Não para mostrar alguma coisa para mim mesma. Apenas para recomeçar tudo novo, de novo, com esperança nova, com coragem e com força: tudo aquilo que sou.

Então, que este pequeno e singelo sonho seja o marco definitivo de todas as escolhas que fiz, das que mudei, das que estou ratificando. Porque você só tem certeza de uma escolha quando faz a mesma escolha várias vezes. E o que eu escolhi? Ser eu mesma, sempre!

Grilos!

A despeito do trocadilho feito pela queridona da Fafá Barbalho, estes são grilos mesmo! [Grilo (do latim grillus) é designação comum dos insetos ortópteros, subordem ensifera, que constituem a família dos gryllidae ou grilídeos, que possuem, além de longas antenas filisiformes, órgãos auditivos para perceber os sons que produzem com possantes estriduladores situados nas suas asas anteriores.O peso deste varia entre 15 gramas. Fonte: Wikipédia].


Gabitchs voltou de viagem e compartilhou gentilmente petiscos de grilo comigo, sabor limão. Adoro o exótico, mesmo sendo 90% vegetariana, fiquei curiosa. Ainda mais depois que a irmã de uma outra amiga viajou para a China e experimentou escorpiões no espeto. De acordo com essa mesma amiga, o futuro da humanidade, quando não restar mais carne vermelha disponível, terá de comer insetos. Concordo com ela.

No entanto, enquanto não precisamos comer insetos para sobreviver, podemos experimentar, certo? Os bichinhos aí da foto embora me causassem um certo pânico inicial, foram gostosinhos de comer. Crocantes, azedinhos (por causa do sabor de limão) e salgados. Gosto? Parecia gosto de folha seca, meio chá. Esperava um certo sabor de camarão... talvez os escorpiões tenham. Talvez, formigas. Excelente fonte de proteína e queratina, quer mais?
Grilos aprovados! Esperando a próxima iguaria incomum... quem me oferece? :)

Tema da semana

"WE have the power to make a difference. Find something or someone that moves you... you can make a difference and I promise it will make you and that neighbor in need feel something magical. Don't fall into the negative. Don't assume the press or those in the media know better or know more. Follow YOU. Partisanship, is just ignorance in disguise."

(em 11.01.2012, Jon Bon Jovi no facebook)

cariocas versus paulistas - nova reflexão

Há mais de dois anos, escrevi um post falando sobre cariocas e paulistas. Era a minha primeira impressão. Lendo e relendo o post, acho necessário fazer uns pequeninos adendos. Porque nesse intervalo, pude conhecer muito mais a fundo a cidade do Rio de Janeiro e os seus moradores. Estabeleci pequenas raízes na cidade maravilhosa, sem nunca deixar de estar em São Paulo. Sem titubear, me considero uma paulista-carioca ou uma carioca-paulista. Mas, vamos lá.

O preconceito existe. E arrisco dizer que existe um preconceito muito maior dos paulistas com os cariocas do que o contrário. Mas é um palpite estritamente pessoal. Como tinha dito no post anterior, creio que o que diferencia radicalmente cariocas de paulistas é a presença do MAR. Com o mar, as belíssimas paisagens e as montanhas com recortes tão lindos que você só encontra na geografia carioca. Ninguém me desconvence de que esse mar faz toda a diferença!

Observando detalhes práticos: tem carioca estressado? TEM! Mas quem ganha no quesito "pessoas estressadas" é o paulistano, não tenha dúvida!!! Lembro que fiquei uns meses sem vir para SP e, em pleno fim de semana, me assustei com a agressividade e má educação das pessoas no metrô. Em plena avenida paulista, fui literalmente atropelada por um sujeito engravatado que queria passar através de mim. Me deu um coice com a perna que eu quase caí para trás. E olha que me derrubar não é fácil. Obviamente, ele seguiu impávido, como se fosse a atitude mais natural e humana.

No Rio de Janeiro, também têm carioca estressado e mal-educado. Mas em um número incomparavelmente menor! Andei a avenida rio branco inteira, apinhada de gente às seis da tarde. Ninguém nunca me atropelou como o engravatado da avenida paulista.

Fumantes. Impressionante como tem fumante em São Paulo!!! E fumante dos cigarros de merda, aqueles Eight da vida, vendidos a fardos e fardos. Tem fumante no Rio? Claro que tem! Mas não me recordo de ter sentido cheiro de cigarro de merda. E o número de fumantes, mesmo em HH, é incomparavelmente menor. Se alguém souber me explicar antropologicamente porque carioca não fuma tanto como paulistano, gostaria de ler.

E, agora, a coisa mais BIZARRA que nunca pensei que veria em vida. Metrô no horário do rush. Eu pego metrô em SP todos os dias, para ir e para voltar. Nas minhas férias no Rio, peguei um metrô sentido zona norte às 18h30. Entrei na estação Catete. Tranquilo. Quando chegou na Cinelândia, uma multidão do lado de fora. Fiquei tensa. Eu estava bem de frente para a porta. Quando a multidão entrou, confesso que me agarrei com medo de um arrastão. Para a minha imensa surpresa, NINGUÉM encostou em mim. Todos se dirigiram direto para o corredor. Duas mulheres ficaram perto de mim. E as portas? Praticamente vazias. Cena surreal, surreal... quem pega metrô em SP (linha vermelha, sentido zona leste, por exemplo) sabe como é o caos. Ou mesmo vários pontos da linha verde. É um deus nos acuda. Ninguém se salva, nem idosos, nem deficientes (que não entram), nem crianças. Eu cansei de testemunhar isso com meus próprios olhos.

Paulista reclama muito que carioca é folgado. Na verdade, eu diria que carioca é menos estressado. Pode SIM ser folgado MUITAS VEZES. Malandro e safado em muitas outras. Paulistano é diferente? Não! Apenas se transveste de "trabalhador sério" para dissimular mau humor e má educação. Mas, como disse, não dá para tachar um de uma coisa e outro de outra coisa. Dá, sim, para fazer como eu fiz: sou paulistana nascida em Santo André, morei 32 anos da minha vida em São Paulo e 1 ano e meio da minha vida no Rio. Constatar que tem muitas vantagens morar em SP e no Rio. Defender que ninguém é melhor que ninguém. Mas... você pode escolher, por exemplo.

E, ultimamente, tenho escolhido o tempo mais calmo e menos estressado, com suas paisagens lindas, shows de Isabella Taviani e respeito ao turista que o Rio de Janeiro tem, mesmo morando em São Paulo.

Começos, fins, ciúmes, inveja e hipocrisia

De volta a São Paulo! Minha amada terra natal. Mas, confesso, solenemente, estou morrendo... mor-ren-do de saudades do Rio de Janeiro. Minha segunda terra que aprendi a amar... sol, calor, cariocas, paisagens belíssimas, amigos. Tudo. Voltei com a promessa de retornar em breve!!!

Os últimos quinze dias da minha vida (entre o fim do ano passado e o começo deste) foram muito intensos!  Eu quis isso para mim. Quis esse presente. Quis o novo, o inusitado, o imprevisto, o louco, o insano, o diferente! Quis voar, quis viver. Quis SER EU MESMA! E consegui, acho. Consegui colocar um mais para fora toda essa coisa "intensa e louca" que eu sou.

Por outro lado, muitas coisas vieram à tona. Como disse minha querida IT uns dias atrás, "merda boia" e eu vi muita coisa boiando!  Não chegou a ser surpreendente mas mesmo assim causa surpresa. Primeiro, a inveja e o ciúme generalizado e com alvo em mim. Não importam os motivos ou a origem. Apenas que aconteceu. Uma vida pública tem seu preço e estou pagando os meus, mesmo injustamente. Porém, a todas essas pessoas, apenas digo: sinto muito, para a tristeza de cada um de vocês, não vou mudar um milímetro do que eu sou. :)

E, também, mais uma vez, vi a corda estourando para o meu lado. Acho engraçado que em todas as vezes que a cobra tá quase fumando, as pessoas descambam para cima de mim. Tudo bem. Que se crie coragem para tomar verdadeiras atitudes para romper com ilusões reais da vida. Se o primeiro passo é começando comigo, que assim seja! Seja feliz, apenas. Essas pessoas merecem. E eu também mereço!

Para finalizar, apenas queria dizer que a hipocrisia tem batido forte à minha porta. E eu me pego pensando no que se passa na cabeça das pessoas que se dizem "tão equilibradas, justas, corretas e amigas" e vociferam "que eu sou maluca, intensa, insana". Bom, acho que o único comentário a se fazer é o seguinte: enquanto uns escondem e julgam os outros, outros apenas fazer aquilo que acham que devem fazer. :)

Mais uma vez, feliz 2012 para cada um de vocês. Que este ano façamos diferente!!! Ousemos!!! Com coragem, lealdade, verdade, humildade. E sendo quem devemos ser, sempre.

Isabella Taviani e Melissa Etheridge

Uma coisa que esqueci de escrever no post sobre o show de Isabella Taviani foi que a o visual careca mais a energia irradiante me lembraram Melissa Etheridge cantando "Piece of my heart" na cerimônia do Grammy em 2005. Para quem não conhece, essa performance é... uma reencarnação de Janis Joplin sob o olhar de Melissa Etheridge: lindo, intenso, perfeito, perfeito, perfeito!

A careca de Melissa foi porque ela se curava de um câncer de mama. Li várias entrevistas dela contando como foi superar a doença. Ela engordou e ficou careca e adorou o novo look. Vi algumas apresentações desse período e parecia que ela estava com uma felicidade (mais do que ela já demonstra em shows) acima da média. Era a vida pulsante que transbordava dela...

Claro, guardamos as devidas proporções das comparações, porque são contextos totalmente opostos. Mas tem as semelhanças... primeiro que eu conheci -- de verdade -- Melissa Etheridge por causa da Isabella Taviani. Ainda não consegui ouvir toda a gigante discografia da ME, mas é clara a inspiração que IT buscou. Pelas letras tão de amor e de perda tão contundentes. Pelo jeito intenso e passional de cantar...

Então, eis que IT sobe no palco em Rio das Ostras, cantando, pulando, gritando... com aquela mesma vida pulsante transbordando de alegria e energia e eu via porque eu gosto TANTO dessas duas cantoras! E eu via porque escutar as músicas das duas me faz tão bem. E porque eu quero sempre me inspirar nelas para manter -- também -- essa vida pulsante de alegria e paixão dentro de mim!




Réveillon em Copacabana 2012


Pois então, queridos leitores deste blogue: primeiramente, feliz 2012 para cada um de vocês!!! Que este seja o ano da coragem, da mudança, da transformação: DA AÇÃO! É o que eu quero para mim e desejo para cada um de vocês.

Decidi começar este ano fazendo algo que sempre disse que NUNCA faria: passar um réveillon em Copacabana. E fui! E foi a experiência mais bizarra e excitante possível. Bizarra porque estar em trocentas pessoas, cada uma carregando seus coolers, suas garrafas de orloff, suas cervejas... barracas, galinhada e farofada na praia... Eu e minha irmã nos divertimos MUITO com essas cenas! :)

E a mais excitante possível porque assistir à queima de fogos... não tem precedentes. NENHUM!!! É lindo, maravilhoso... e cabei me debulhando em lágrimas... rs Além disso, foi um instante especial: desejei imensamente tantas coisas para mim. Este já começou como um ano especial!!! E tudo vai acontecer!

Tem chovido muito aqui, ultimamente. Choveu em Rio das Ostras, durante o show da Isabella Taviani. E toda aquele simbolismo de "lavar a alma na chuva"... e choveu ininterruptamente durante a virada. E eu me molhei na chuva, molhei meus cabelos... e fiquei apenas pensando naquela música da Ana Carolina...

Bom, então é isso! Que comecemos de novo. Este primeiro dia de janeiro de 2012 já começou especial e continuará sendo especial. E quero que cada um de meus leitores também seja forte, autoconsciente e corajoso. É assim que vivemos de verdade!!!