Cariocas vs. Paulistas

E vamos falar de preconceito...

No geral, os preconceitos -- como todo bom preconceito -- é sempre uma forma irracional de o ser humano lidar com aquilo que não conhece e não tem a mínima ideia do que dizer ou pensar. Ou, também, pode ser a forma de negar o que, intimamente, lhe apraz. Ou apenas a mais grotesca forma de se integrar em um grupo, já que os seres humanos não são capazes de viverem isolados.

Por isso, sempre ouvimos as frases-chavão que ecoam em todos os segmentos possíveis para ilustrar um preconceito. Eu mesma sou preconceituosa em dizer que odeio andar em grupos, sejam eles quais forem.

Mas, voltando à questão, já que a minha namorada é carioca, e aos menos duas vezes por mês eu aporto na cidade maravilhosa, eu descobri algo: os cariocas são simpaticíssimos! Povo sempre alegre -- às vezes, irritantemente demais -- mas eles moram perto da praia. Podem se dar o luxo de sair do trabalho às 17h30 e estar na beira da praia tomando uma cerveja 0ºC às 17h45. Outros menos afortunados levarão 30 minutos até a praia mais próxima. Quem não gostar de praia, pode olhar pro Pão de Açúcar ou pra Ponte Rio-Niterói em um fim de tarde de arrancar lágrimas dos olhos. A Baía de Guanabara, mesmo podre, fica linda pintada de dourado em um entardecer.

Os paulistanos pegam metrô lotado e vivem cercados em uma selva de pedra. Marginais paradas, avenidas entupidas de gente solitária dentro dos seus carros com janelas fechadas para evitar assaltos. Vão pra calçada tomar cerveja, cercado de pivetes pedindo dinheiro. Ou vão pra shoppings ver a estreia de um filme e ficar zanzando dentro de um cubículo de cimento.

CLARO e EVIDENTE que se tratam de dois universos amplamente distintos. Mas, quando se fala mal de carioca, pensa-se naquela pessoa folgada, vagabunda que só gosta de tirar vantagem. Porra, isso temos em qualquer lugar! Até travestido de paulistano. E os paulistanos são vistos como antipáticos, mal-humorados e cricris.

Eu concluí que só pode ser influência direta do contexto da paisagem. Porém, seria ingenuidade minha resumir a conclusão a isso. Como não quero concluir tudo, nem me dou a prepotência para, eu apenas exponho o que vi. E como cidadã semirradicada no Rio, posso falar com a propriedade de quem visita o Rio (ao mínimo duas vezes por mês), há mais de um ano e mora em SP desde 1977.

Eu adoro os cariocas, mesmo folgados. Pois eles sempre estão sorrindo e sempre se dispõem a ajudar sem fazer cara feia, por achar que vai ser assaltado. São solícitos. E estão sempre de bom humor.

Para finalizar, vou contar um causo: um dia estava indo pra rodoviária, de madrugada ainda, pegar o buso para voltar para SP. Tava numa van (aqui conhecida como lotação) , escuro, todo mundo cabisbaixo, dormindo. Tinha um único lugar sobrando, na frente. Quando a pessoa entrou, ela disse: "bom dia!". Todo mundo, em uníssono e bom tom, respondeu "bom dia!". Eu não disse "bom dia!" para essa pessoa! E eu nunca tinha visto isso na minha vida! Aqui, mal nos cumprimentamos e, quando o fazemos, nem nos damos o trabalho de responder, porque o nosso mau humor justifica a falta de educação.

O que me diz?

8 comentários:

Jana disse...

Valeu japinha! Nós cariocas infelizmente não somos vistos com seriedade, não somos os personagens malandros das novelas das 19:00h ou 21:00h. Damos duro também!...É isso...
>:P

Crisão disse...

Paulista pensa que é trabalhador, mas é um trabalhador. Esqueceu do adjetivo^: CHATO.

Carol F. disse...

Eu concordo com muitas coisas que você disse, mas a parte de engarrafamento, janela fechada e pivetes não é nem de longe exclusividade de SP. E, como comentei no Twitter, eu também gosto do Rio, mesmo com os cariocas sendo meio superfelizes.

Crisão disse...

Haha, tens toda razão....

aline naomi disse...

Concordo em partes. Haha. Na verdade, precisaria morar no Rio para saber. Quem sabe um dia se a Rocco me contratar, poderei falar sobre o assunto com mais propriedade. Sei lá o que acontece, mas ou eu conheço cariocas MUITO legais, solícitos, etc., como você citou, ou MUITO folgados - sempre extremos -, então não tenho como concluir nada. Por enquanto.

Ah, e claro que tem os paulistanos folgados - ô se tem!! Em todo canto.

Anônimo disse...

Querida... pode ter certeza que os gauchos se superam.

Anônimo disse...

Onde eu trabalho tem alguns cariocas e são os que se acham malandrões ( risos )e inventam muita história.Os mais legais são os nordestinos( mas preguiçosos), os paulistas são meio antipáticos.Eu sou da baixada santista litoral sul, vivo na praias, então sou menos antipático que os quem moram em SP Capital.

Leandro disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.