cariocas versus paulistas - nova reflexão

Há mais de dois anos, escrevi um post falando sobre cariocas e paulistas. Era a minha primeira impressão. Lendo e relendo o post, acho necessário fazer uns pequeninos adendos. Porque nesse intervalo, pude conhecer muito mais a fundo a cidade do Rio de Janeiro e os seus moradores. Estabeleci pequenas raízes na cidade maravilhosa, sem nunca deixar de estar em São Paulo. Sem titubear, me considero uma paulista-carioca ou uma carioca-paulista. Mas, vamos lá.

O preconceito existe. E arrisco dizer que existe um preconceito muito maior dos paulistas com os cariocas do que o contrário. Mas é um palpite estritamente pessoal. Como tinha dito no post anterior, creio que o que diferencia radicalmente cariocas de paulistas é a presença do MAR. Com o mar, as belíssimas paisagens e as montanhas com recortes tão lindos que você só encontra na geografia carioca. Ninguém me desconvence de que esse mar faz toda a diferença!

Observando detalhes práticos: tem carioca estressado? TEM! Mas quem ganha no quesito "pessoas estressadas" é o paulistano, não tenha dúvida!!! Lembro que fiquei uns meses sem vir para SP e, em pleno fim de semana, me assustei com a agressividade e má educação das pessoas no metrô. Em plena avenida paulista, fui literalmente atropelada por um sujeito engravatado que queria passar através de mim. Me deu um coice com a perna que eu quase caí para trás. E olha que me derrubar não é fácil. Obviamente, ele seguiu impávido, como se fosse a atitude mais natural e humana.

No Rio de Janeiro, também têm carioca estressado e mal-educado. Mas em um número incomparavelmente menor! Andei a avenida rio branco inteira, apinhada de gente às seis da tarde. Ninguém nunca me atropelou como o engravatado da avenida paulista.

Fumantes. Impressionante como tem fumante em São Paulo!!! E fumante dos cigarros de merda, aqueles Eight da vida, vendidos a fardos e fardos. Tem fumante no Rio? Claro que tem! Mas não me recordo de ter sentido cheiro de cigarro de merda. E o número de fumantes, mesmo em HH, é incomparavelmente menor. Se alguém souber me explicar antropologicamente porque carioca não fuma tanto como paulistano, gostaria de ler.

E, agora, a coisa mais BIZARRA que nunca pensei que veria em vida. Metrô no horário do rush. Eu pego metrô em SP todos os dias, para ir e para voltar. Nas minhas férias no Rio, peguei um metrô sentido zona norte às 18h30. Entrei na estação Catete. Tranquilo. Quando chegou na Cinelândia, uma multidão do lado de fora. Fiquei tensa. Eu estava bem de frente para a porta. Quando a multidão entrou, confesso que me agarrei com medo de um arrastão. Para a minha imensa surpresa, NINGUÉM encostou em mim. Todos se dirigiram direto para o corredor. Duas mulheres ficaram perto de mim. E as portas? Praticamente vazias. Cena surreal, surreal... quem pega metrô em SP (linha vermelha, sentido zona leste, por exemplo) sabe como é o caos. Ou mesmo vários pontos da linha verde. É um deus nos acuda. Ninguém se salva, nem idosos, nem deficientes (que não entram), nem crianças. Eu cansei de testemunhar isso com meus próprios olhos.

Paulista reclama muito que carioca é folgado. Na verdade, eu diria que carioca é menos estressado. Pode SIM ser folgado MUITAS VEZES. Malandro e safado em muitas outras. Paulistano é diferente? Não! Apenas se transveste de "trabalhador sério" para dissimular mau humor e má educação. Mas, como disse, não dá para tachar um de uma coisa e outro de outra coisa. Dá, sim, para fazer como eu fiz: sou paulistana nascida em Santo André, morei 32 anos da minha vida em São Paulo e 1 ano e meio da minha vida no Rio. Constatar que tem muitas vantagens morar em SP e no Rio. Defender que ninguém é melhor que ninguém. Mas... você pode escolher, por exemplo.

E, ultimamente, tenho escolhido o tempo mais calmo e menos estressado, com suas paisagens lindas, shows de Isabella Taviani e respeito ao turista que o Rio de Janeiro tem, mesmo morando em São Paulo.