Há um ano atrás...

Gosto de dar um passo no passado, como faço agora, para poder vislumbrar melhor o presente e projetar o futuro.

Há um ano atrás... quanta coisa... quanta coisa aconteceu. Quanta coisa acontecia numa velocidade inimaginada. Se eu soubesse tudo que viria depois, me pergunto, teria me atirado em tanta dor? Teria me testado tanto a ponto de começar a pensar em desistir da vida? Teria feito as escolhas que fiz?

Não dá para saber. Àquela época, eu vivi o que achei que dava para viver. Escolhi mesmo sem saber como escolher. Tomei decisões... certas ou erradas, não importa. Agora sou o resultado de tudo que vivi... há um ano atrás.

Terminei amizades que achei que seriam eternas, porque afinal, achava que amizade era amizade. Mas, com o tempo você aprende que mesmo as amizades mais amigas um dia precisam partir. Não interessa saber o porquê ou tentar justificar a ida: ir, em muitas vezes, é a melhor maneira.

Meu relacionamento terminou conturbado: desestruturou minha vida. Fui obrigada a criar novos horizontes. Tive de retornar a coisas impensadas. Foi a mais dura e triste situação que tive de encarar.

Mas...

Hoje, um ano depois, nem em sonhos mais insanos eu poderia prever que estaria aqui escrevendo para vocês.

Sempre fui uma sobrevivente... e acima de tudo, uma lutadora. Enfrentei minhas próprias intempéries trazendo um foco e uma força que não sei de onde vieram. Quer dizer, eu sei. Vieram de mim mesma.

Enfrentei os meus fantasmas, os meus monstros, os meus medos... e ainda tenho vários deles aqui, querendo pregar peças em mim. Mas sempre procurei ouvir minha intuição, meu coração, minha alma. Estando à margem de meu abismo, escolhi sempre o caminho oposto. Não é fácil... mas é a única opção que devemos desejar, mesmo quando não tivermos mais força para mais nada.

Cresci e amadureci muito nesse processo. Os amigos se foram, outros amigos vieram. Muitos amigos ratificaram o sentido único da palavra amizade. Voltei com o meu amor e redescobrimos juntas que, juntas, encontramos mais sentido do que separadas. Voltei e redescubro a cada segundo os motivos de nosso amor se fortalecer a cada dia que se passa. Voltamos e a cada desafio que superamos, entendo que tudo que vivi o ano passado foi o mais valioso aprendizado que precisava viver.

Então, para você leitor, caso esteja vivendo um momento ruim, eis a dica: tudo é aprendizado. Mesmo que você relute em aceitar, essa é a maior e máxima verdade que teimamos em não aceitar. Cada escolha, cada dor, cada alegria, cada frustração, cada sorriso, cada lágrima, cada segundo parado, cada surpresa... tudo é lição que vai te levar a um outro caminho, a uma outra lição.

Não vai ser fácil, em muitos momentos você vai desejar jogar a toalha, simplesmente desistir. Mas pense nisso: qual outra razão de viver, senão o desafio constante de você se reconhecer em quem você é. Aprender com isso. Desprender-se do que não presta. Terminar, partir para outra. E voltar a aquilo que é mais importante: ser quem você é, quem você nasceu para ser e aquilo que fará para o mundo.