Olhos nos olhos

Culturalmente, somos nativos de um país em que conversar olhando nos olhos é sinônimo de sinceridade. Em outras, isso é visto como agressivo e mal-educado. Também, costumam dizer que os olhos são a janela da alma.

Ouvi gringos dizendo que brasileiros são muito intensos por gostarem de conversar olhando nos olhos. No Japão, onde morei por algum tempo, até se olha nos olhos, mas sempre um "meio olhar". E mulher sempre em nítida posição submissa em relação ao homem.


Também se ouve falar nesses cursos de RH sobre olhar nos olhos durante uma entrevista de emprego, na hora de um chefe conversar com seus subordinados e afins. Outro exemplo, um artista, quando está no palco, e olha para a sua plateia: você sabe que ele está olhando nos seus olhos.

Bom, isso tudo foi para dizer que tenho minhas sérias restrições quanto a conversar olhando alguém nos olhos. Explico. Eu acredito nesse negócio de olhos como janelas da alma e como portais para aquilo que a pessoa tem de bom e ruim dentro dela. Um simples olhar é capaz de demonstrar E de captar tudo isso.

Conheci várias pessoas com as quais simplesmente ERA IMPOSSÍVEL manter uma conversa olhando nos olhos. Vez ou outra, reencontro pessoas com esse perfil. Durante alguns longos meses da minha vida, fiquei sem olhar nos olhos de todas as pessoas com quem conversava. Motivos? Simplesmente porque eu não estava bem e porque não queria que ninguém adivinhasse o que se passava comigo porque, nessas horas, eu simplesmente não sei mentir.


Então, eis que reparo que voltei a gostar de olhar nos olhos das pessoas. Olhar ali... bem fundo. Como dizia uma grande amiga minha, eu sempre tive essa capacidade de "desnudar sem dizer nada, apenas olhando". Ela, que sempre se disse uma pessoa com "olhos de escudo" ficava constrangida com meu olhar... haha velhos tempos esses, ein? Se você, pessoa, estiver lendo este post agora, sabe que estou falando de você.

E, para finalizar, reitero: eu faço uma leitura gigantesca da pessoa apenas de olhar nos olhos dela. Infalível, sinto dizer. Raríssimas vezes, eu errei. Portanto... pergunta: você se arrisca me encarar? :)

ps: post despretensioso para este dia de frio e chuva, em pleno verão paulistano...

Nenhum comentário: