It's my life

Hoje acordei pensando em uma música: It's my life, do Bon Jovi.

Sim, meu car@ leitor@! Gosto de Bon Jovi. Faz parte da minha raiz dos anos 80 e da minha idade que nunca quis negar a ninguém: sou da década de 80, de tantas coisas que hoje viraram baladas trash. Eu me acostumo às ideias novas, sem nunca negar as raízes.

Em breve pretendo postar meus comentários sobre o recentíssimo álbum The Circle, mas vou esperar lançarem no Brasil, embora já saiba várias músicas de cor.

Bem, adoro o início dessa música: "This ain't a song for the brokenhearted, no silent prayer for the faithdeparted. I ain't gonna just a face in the crowd, you're gonna hear my voice when I shout it out loud. It's my life it's now or never, I ain't gonna live forever, I just wanna live while I'm alive." Ou, em outras palavras: "Esta não é uma canção para os corações partidos, nenhuma oração silenciosa para os que perderam a fé. Eu não serei apenas um rosto na multidão, você vai ouvir minha voz quando eu gritar. É minha vida, é agora ou nunca, eu não viverei para sempre, e apenas quero viver enquanto estiver vivo."

Muitos dizem que esse foi o respiro que trouxe o Bon Jovi de volta à vida, em 1999, com o álbum Crush. Eu acho que essa música, a despeito do que essa banda possa significar para vocês, é um hino à luta que nunca devemos desistir, ao otimismo que nunca devemos deixar de propagar, aos sonhos que não devemos deixar de sonhar. Chame isso do que quiser, eu chamo isso de dignidade. Ou honra, se quiser.

Nossa vida constantemente está caminhando para o quê? O que vc aprendeu ontem que pode ensinar para alguém hoje? O que te torna um ser humano menos execrável que o vizinho que você inveja e odeia?

Não somos nada além daquilo que nunca deixamos de saber quem somos: um monte de merda ambulante. Em constante aprendizado. Em constante crescimento. Isso é o mínimo que devemos fazer conosco menos.

Mas, sem pessimismo, como repugnariam os pessimistas "you can sleep while I dream...". E deixo esse eterno tópico para ser falado outro dia.

3 comentários:

Flor de Azeviche disse...

Quando vi o título do seu post no meu blog (nas atualizações) comecei a cantar essa música sem nem saber se ela era mesmo, mas como você tem um ótimo gosto musical, logo me veio em mente que era a mesma música rs. Abri o blog e (como diz minha mãe) BATATA. Enfim, loucura.

Adoro Bon Jovi, muito, muito =F

Os seus posts me fazem parar e refletir muitas coisas na minha vida, isso é bom, por um lado. É como se eu soltasse aquilo que fica preso dentro de mim, mas soltasse para mim mesma. Isso é foda.

Beijo, Cris.

aline naomi disse...

Eu gostava de Bon Jovi, hoje em dia, já nem sei!

Acho engraçado quando você escreve coisas como: "Não somos nada além daquilo que nunca deixamos de saber quem somos: um monte de merda ambulante". Não sei se leio certo, mas você parece ter uma visão pessimista das pessoas em geral, mas, ao mesmo tempo, no fundo, acredita que temos alguma coisa de bom.

Crisão disse...

Flor, obrigada pelos comentários, mais uma vez!

Aline: eu disse que minha relação com o ser humano é paradoxal: ora o amo, ora o odeio. E no equilíbrio dos extremos, vou vivendo.

Mas é inegável que eu penso, meio como Machado de Assis, que somos uma causa praticamente perdida. Em muitas vezes, não dá vontade de defender a nossa própria espécie.

Por outro lado, sempre houve e sempre haverá em mim um lado tão otimista, que me guia, com uma fé cega, me supreendendo onde menos esperava!