Novelas japonesas: de 1996 a 2008 e suas trilhas sonoras

Já falei de uma novela japonesa que acompanhei enquanto estava lá no Japão? Bem, eu vivo repetindo essa história e para quem já ouviu, peço a paciência para que eu conte de novo aos que não a conhecem!

Pesquisei agora e achei referências a essa novela! Não sei porque comecei a ver novela em japonês, sem legendas. Não entendia nada! Mas tinha algumas coisas que me chamaram muito a atenção nela.

Primeiro: conta a história de uma moça dividida entre dois amores, um carinha e uma mocinha. Muito parecido com o Last Friends, que ainda não consegui terminar de ver. [parênteses: Last Friends estava indo muito bem, mas as séries japonesas têm um ritmo muito... japonês? Longos focos, focos específicos. Lágrimas demais. Drama demais... haha] Em Last Friends, que ainda não terminei de ver, a dualidade é o ponto central. 

Da mesma forma, ocorre em Living Single (aliás não estranhe ter muitos nomes em inglês no Japão. O inglês é praticamente a segunda língua lá!). Não sei exatamente o que me fez começar ver essa novela (que a partir daqui chamarei de série). Deveria estar zapeando. Mas a curiosidade me chamou e eu fui lá encarar a novela sem legenda mesmo! Me chamou a atenção o fato de a novela tratar (LEMBREM-SE EM 1996) do tema da homossexualidade (NO JAPÃO) de forma tão aberta. Era algo comum. Na época, para mim, foi importante ter esse "apoio" para saber que, sim, o tema poderia ser abordado com naturalidade e que eu não estava sozinha no mundo.

Comecei a acompanhar todos os dias. Chegava direto do trabalho para ver. E me apaixonei pela música de abertura Saigo no Uso da Yumi Matsutoya. Então foi uma coisa inevitável: fiquei viciada na música de abertura (lembre-se que em 1996 não tinha internet pra download) e eu não ouvia rádios para ouvir a música. Então, a única oportunidade de ouvir a música era na abertura e no encerramento da série. Imagina a ansiedade diária. Naquela época não tínhamos Youtube pra ficar pondo tudo no repeat one! rs

Primeiro passo: comprar o cd com a música, óbvio. Fui às lojas e quem disse que eu sabia quem cantava a música? Como diria que era música de abertura de uma novela, com o meu parco japonês? Desafio! Fui garimpando, na área de singles japoneses de estreia. Uma graça! Coisa que não temos aqui e provavelmente nunca teremos: uma área exclusiva para venda de singles. 

Cacei e achei!!! Lembro que surtei de alegria. Era um mini-cd (nem sei se tem por aqui) que continha 4 músicas: Saigo no uso, Bye bye my Merry Christmas e as versões karaokê dessas músicas. Sim! Porque no Japão é obrigatoriedade dos singles terem versões em karaokê, de estúdio, com backing vocal e tudo! Aqui colocarei a bela Saigo no uso (ou, a Última mentira, se preferirem).


Last Friends segue na mesma linda, mas trabalha com temas mais diversos para falar de pessoas que não sofrem no amor, seja por tê-lo, por não tê-lo, por tê-lo demais ou de menos, por não ser assumido. O modo como é feito pode não me agradar, mas os temas trabalhados estão muito além daqueles que vemos por aqui. E isso é um ponto muito forte!

A música de abertura dessa série é de Utada Hikaru chamada Prisoner of love que coloco aqui:



Bem, que tiver curiosidade, não é muito difícil achar o download de Last friends na internet. Também é fácil achar o download das músicas de Yumi Matsutoya e Utada Hikaru. E olha que coincidência mortal: elas nasceram no mesmo dia!!! Em 19 de janeiro, sendo a primeira no ano de 1954 e a segunda em 1983.

Fica a dica pra quem tiver tempo e curiosidade. Recomendo!

Nenhum comentário: