Torta de sardinha (com foto!)

Aventuras gastronômicas continuam... mas esta receita aqui é véia! rs Eu sempre fui fã de tortas, daquelas de liquidificador, de todos os sabores, até de carne moída! (ecati) Mas as receitas davam errado em algum ponto e a torta não crescia, não ficava bonita...

Primeiro reparei um dos grandes erros culinários: medidas. Devemos ser usar medidas universais em gramas e mililitros. Nada de copos americanos, xícaras e o cacete a quatro. Dá errado, porque cada um em casa tem uma medida diferente. A xícara de casa (da minha mãe) é superpequena e era óbvio que daria errado. Comecei a sacar as coisas por aí.

Segundo, quem precisa de medida??? Claro vc não pode colocar 4 latas de sardinha se a receita pede uma. Mas pode -- E DEVE -- arriscar. Bons chefs de cozinha são bons porque arriscam, sabem misturar cheiros e sabores.

Pensando nas duas premissas (de modo inconsciente, claro!) há alguns anos atrás resolvi fazer minha própria torta de sardinha. E não que saiu a coisa mais deliciosa do mundoo?? Ontem repeti a dose e meu amor ficou surpreso. Confesso: até eu fiquei.

Bom segue a receita, sem medidas, claro, mas dou quantidades aproximadas.

Separe 3 latas de sardinha, 1 cebola grande picada cortada bem pequeno, ramos de salsinha fresca e um ramo de manjerona fresco (usar ingredientes secos é receita de fracasso, já sabe), meia lata de mistão de ervilha com milho (preferia frescos, mas achá-lo por aqui onde moro é impossível). Comece com o recheio. Frite a cebola com calma em um fio de azeite, acrescente as sardinhas devidamente limpas (sem escamas, espinhas e tripas, porque SEMPRE tem) e refogue um pouco (uns 5 min). Depois acrescente a ervilha com o milho. Mais 5 minutos. Desligue o fogo e acrescente a salsinha e a manjerona picados. Reserve, porque o recheio precisa ir morno pra torta.

A massa então é coisa mais idiota de simples: 3 ovos (porque adoro massas com ovos), se achar muito, coloque 2. Um pouco de farinha (calculo uns 150g). Um pouco de amido de milho (uns 50g). Um pouco de leite para deixar a massa líquida (uns 50ml, variando). Eu faço a olho então não sei precisar essas quantias. Bata. Uma pitada de sal. Uma colher de sopa de queijo parmesão ralado. Uma colher de sopa de molho de tomate (eu sempre uso meus frescos que deixo previamente prontos para a emergência da macarronada). Uma colher de sopa bem cheia de manteiga (não margarina). Uma colher de sopa bem cheia de fermento em pó. Junte aos poucos e vá batendo. Acrescente por último o fermento e bata.

Pegue uma forma que melhor lhe apeteça, eu usei uma de 20cm de diâmetro, unte e monte a torta: um pouquinho de massa no fundo para formar a base, despeje todo o recheio sobre ela e termine colocando todo o restante da massa por cima. Ao final, polvilhe mais um pouquinho de queijo parmesão ralado, bem pouco para não deixar a torta muito forte.

Pré-aqueça o forno em 200ºC por 10 minutos e asse a torta em 200ºC por cerca de 20 minutos, dependendo da potência do forno. Veja se ela ficar dourada por inteiro e aí estará pronta. E vocês verão o resultado na foto a seguir: repare no detalhe fofo da massa, se ficar assim, sucesso! Odeio massas de tortas pesadas e grudentas. Bom apetite!


4 comentários:

Títi disse...

mas está cozinheira de mão cheia heim?!! hahaha beijos

Renata Campos disse...

Não curto muito sardinha, mas a sua torta tá bunitan! ;)
Beijos!

Crisão disse...

ô mãe... obrigada pelo elogio!

Títi, meu amor adorou! rs

as namoradas disse...

Guria, que mistureba é essa? primeiro o recheio dewpois a massa? e tu com teus cálculos de medidas? se eu seguir isso ae vai virar um troço
bjks