O amor e o ódio nos relacionamentos virtuais

Acho que um dos meus maiores defeitos foi nunca conseguir andar na superfície. Ao contrário, eu sempre fiz um esforço gigante para me fazer de superficial, olhar tudo blasé e para tentar entender porque certas coisas nunca fizeram sentido nenhum para mim.

Os últimos meses andam numa agitação tão imensa na minha vida pessoal que eu tive de fazer o processo inverso de apenas deixar a vida me levar... deixar de ser crítica e andar apenas na superfície. Mas, como um chamado, eu não consigo deixar de ouvir essa parte intrínseca da minha pessoa, que é ser quem eu realmente sou. Então, vez ou outra, como agora, dou força total a esse meu lado e liberto tudo o que ele sente.

A introdução serve para ilustrar o que escrevo a seguir: observar pessoas. Adoro observar as pessoas e elas estão sendo observadas onde menos se percebe. E nem uso "ferramentas" específicas, é tudo apenas uma simples questão de olhar, ver e enxergar.

Se me privei do maior contato diário físico com as pessoas, aumentei ainda mais o contato virtual. De tal modo que todas as minhas lentes estão voltadas e focadas para esse lado.

Algumas coisas nunca mudam e talvez nunca mudem: a intensidade volúvel da internet. Acho que isso é o que mais me marca.

As pessoas se amam e se odeiam muito rápido em contatos virtuais! A extensão do reflexo e a carência -- acredito eu -- devam ser os fatores mais comuns. "Não importa quem vc seja desde que vc me dê atenção" é o lema dos relacionamentos da internet.

Aí as juras de amor caem feito temporal de verão. "Somos amigos eternos", "Te amo com todas as forças do meu ser", "Fidelidade é assim mermão", "Amigo que é amigo é como você" e por aí vai.

Vem o primeiro teste. Quando a coisa até tem um certo sentido, vinga. Mas aí vem o segundo teste... aí a coisa realmente periga porque "Eu me importo com o que você diz, se não estiver de acordo com o que estou dizendo". Aí caí uma verdadeira nevasca com rajadas de fogo (é possível, sim! hehe) "Amigos de verdade não são assim", "Eu achava que você me amava" e "Traíra de monta maior".

Aí o amor eterno vira inimigo jurado. Os antes amigos viram facções inimigas de torcidas de futebol. E nada do que você diga ou faça diminui, parece apenas gasolina intensificando o fogo!

Passa-se algum tempo e começam as frases indiretas lançadas com ares filosóficos em todas as redes sociais possíveis e inimagináveis. Não sou nada contra reprodução de frases... mas esse artifício sempre me parece pretexto para pessoas com preguiça de pensar e, até, falsos pensadores.

Ok, posso ter ido longe, mas não é meio assim mesmo? Eu me incomodo com quem fala apenas frases alheias ou mesmo conversa parecendo ter acabado de ler Goleman, Gasparetto ou o livro "melhores citações do mundo". Nada contra nenhum desses autores porque os já li aos montes! Mas uma coisa é ler um livro e procurar uma citação, outra é viver de citações, como uma eterna colcha de retalhos.

Então você começa a ler vindo de todos os lados "Não sou pessoa de indiretas". Claro que é!!! Todos somos!!! Por que? Porque os corajosos de puro coração são raros, se é que existem entre nós. A gente? A gente se esconde atrás de zilhões de subterfúgios, se enche de frases alheias apenas para esconder (outras vezes, mostrar mesmo) a nossa carência, a nossa superficialidade, a nossa pobreza de emoções genuínas.

Estamos todos juntos nessa mesma batalha "de sermos melhores do que um ser humano consegue ser". E, nessa, mundo virtual e mundo real são iguaizinhos. Exceto que nos relacionamentos virtuais ainda temos mais tempo de "esconder" quem realmente somos. Mas não tem jeito, uma hora vem a tona. E, ultimamente, o que mais tenho visto são personalidades emergindo... para boiar.

5 comentários:

by marcella.....→ disse...

Afinal o que perdemos em investir em relacionamento ou no "contato" virtual? Adoreio o post

Cris disse...

Me vi total nesse texto!!!

Sou a rainha das citações e ontem, até extrapolei!

Crisão disse...

Marcella: tem razão, eu esqueci de comentar esse lado, mas nada tenho contra os relacionamentos virtuais! rs

Xará: :-(

Afrodite disse...

Bom tbm sou uma vitima de relacionamento virtual, sitações já não sou muito de fazer, o que geralmente escrevo são coisas de minha cachola mesmo, por as vezes sai meio sem sentido. Gostei do post vi um cadinho de mim e de muitas outras pessoas nele...rs

Bjs

@LaDespistada disse...

Já me vi nos dois lados da moeda e tenho tentado não reagir tão a ferro e fogo às provocações alheias. Segurar a onda é preciso!!!
Sim, eu faço uso de citações pq sim, tenho preguiça de pensar. Se alguém q admiro já disse algo q me traduz perfeitamente no momento, p q não usar?
Adorei o post, Cris!!! Vc escreve muito bem!