Torta de abobrinha

Todo blogue de culinária que se preze sempre começa com a premissa: "Eu tinha umas coisas sobrando aqui e não sabia o que fazer..." e nisso sai uma receita fantástica de tão simples. Comigo, ontem, não foi diferente. Tinha comprado umas abobrinhas lindas que estavam começando a definhar com o calor estorricante de quase 40ºC no Rio de Janeiro. Detalhe: dentro da geladeira.

Aí comecei a montar o cardápio da minha Sis que vem aqui esta semana passar uns dias conosco e fiquei pensando no que poderia fazer com aquela abobrinha, ainda mais apontando o sentimento vegetariano quase total que se apossou de mim. Googleei e achei este site, infelizmente desatualizado, mas que na época postou mais pérolas que quero tentar fazer em casa.

O resultado? Uma torta meio-suflê que não dá pra explicar. Existem aquelas tortas de liquidificador. Existem aquelas tortas elaboradíssimas. Existe esta torta. Esta seria a minha classificação. Eu diria que é impossível errar esta receita, de tão simples que ela é. E o resultado é divino, na falta de outro adjetivo. Pensei em substituir a abobrinha por chuchus. Trocar o atum por proteína de soja. Ainda bem que minha irmã tá vindo aí! Adoro cobaias em casa! ;-)

Bem, vamos à receita:

Massa:
8 colheres de sopa de farinha
4 colheres de sopa de amido de milho
2 colheres de sopa de queijo ralado (adaptações de queijo são muito mais que bem-vindas, mas eu só tinha o clássico madeira ralada mesmo)
1 colher de sopa bem cheia de fermento em pó
4 ovos
1 copo de óleo (usei o de requeijão como medida e se substituir o óleo por um de canola ou o azeite, melhor)
sal a gosto

Recheio:
2 abobrinhas grandes inteiras picadas em cubinhos de 0,5 cm
2 tomates médios picados, sem casca e sem sementes
2 cebolas médias picadas bem pequeninas
1 lata de atum escorrido (que pode ser substituído por frango desfiado. Pensei na proteína de soja e vou testar)
salsinha picada a gosto
sal a gosto

Não acreditei e li várias vezes procurando o leite. Mas aí lembrei que a massa tem muitos ovos. E abobrinha, tomate e cebola solta uma água que só, depois que você corta. Comecei a pensar que daria errado. Mas, não. Siga a receita do blogue lá à risca e não tem erro!

Misture os ingredientes secos à parte. À parte pique tudo e misture. Faça a massa completa e incorpore-a totalmente ao recheio. Sim, nada de camadas, misture tudo! Outro momento de pânico, nunca tinha feito uma torta assim. Siga!

Forno pré-aquecido 240ºC e meia hora assando. O cheiro que sobe e invade o apartamento indica que a torta deu certo! E olha só as fotitas. A duas primeiras foram tiradas com a torta ainda quente. A última eu tirei antes de começar esta postagem, depois de um dia para o outro. Clique na foto para vê-la maior.

É incrivel como a torta é leve, mesmo com aquele óleo que me deu nervoso. O ovo incorporado a pouca massa faz milagres mesmo.




Um comentário:

Anônimo disse...

Você pode começar um outro blog como aquele do Julie e Julia :o)
Beijos, Megão!