poema: cinquenta centavos



Cinquenta centavos

É tudo
que tenho
para lhe dar
agora, meu amor.

Sinal mudo
agora mantenho,
para lhe alcançar
e  tirar o seu doce rancor.

É nada
que arranjei
da forma mais pura
para ver-lhe sorrindo.

Saco de piada
no choro inventei,
supondo ser a cura
pelo ralo fui indo.

Cinquenta centavos
talhado por escravos
pintado por operários
usado por ilusionários.

Cinquenta centavos por
seus pensamentos de dor,
na mão aberta o troco vou pôr
em troca de um punhado de amor.

Cinquentavos
que encontrei na rua outro dia...


> poema escrito em novembro de 1998 e relembrado pela minha irmã. Obrigada...

Nenhum comentário: